Quem Somos

Há quase um século, Miguel Salles iniciou sua trajetória como pequeno comerciante de arte, coroada mais tarde, em 1929, com a abertura de uma grande loja em Salvador com imensa anuência de público e noticiada com destaque pela imprensa baiana.

Dentre as mais importantes realizações destacam-se a preponderante influência na constituição do acervo do Museu Costa Pinto e igualmente a interação no Museu Imperial de Petrópolis. Foi também curador do acervo numismático da coleção Guilherme Guinle, seu amigo durante toda a vida.

Em 1955 na Convenção da Chambre Syndicale des Antiquaires, na Academia de Belas Artes da Inglaterra, teve o seu nome registrado como Perito em Joalheria Regional e Mobiliário Brasileiro. Deixou como herança para o seu filho Miguel Salles Filho um grande conhecimento na arte do colecionismo.

Miguel Salles Filho formou-se em Economia e Administração de Empresas e exerceu cargos diretivos em empresas nacionais, públicas e privadas, com atuações marcantes na história da economia moderna, como na conversão da dívida externa brasileira em capital de risco e na internacionalização do mercado de capitais do Brasil; tendo prestado consultoria a importantes empresas listadas em bolsas de valores como os Grupos Klabin, Suzano e a White Martins.

Assessorou a Família Imperial de Petrópolis inúmeras vezes em questões relacionadas ao seu acervo imperial. Foi sócio da Princesa Dona Cristina de Bourbon de Orleans e Bragança, grande amiga, no antiquário Princesa na cidade de Petrópolis e no atelier Princesa, em São Paulo. Promoveu mais de cinquenta leilões, dentre eles o Grande Leilão Imperial no Palácio da Princesa Isabel, no centro histórico de Petrópolis. Coordenou o Encontro de coleções na Cidade Imperial das Américas, no Palácio Rio Negro. Apresentou a extensa mostra Instrumentos Musicais Raros durante o Festival Musical de Inverno, com mais de cem peças de seu acervo pessoal. No mercado de arte é responsável há mais de vinte anos pela gestão do acervo artístico do restaurante Antiquárius, no Rio de Janeiro e em São Paulo. É proprietário de espaço artístico em Nogueira, antes em Itaipava, Garage Salles, atualmente Miguel Salles Escritório de Arte., no qual tem apresentado inúmeras exposições tais como: J. Carlos – Caricatura e Desenho; Jaguar e o Cartunismo Moderno no Brasil, além de ampla exposição de fotografias e instalações do artista Miguel Rio Branco. Escreveu artigos para os mais expressivos jornais e revistas do país com temas variados: Economia, Filosofia, Arte Antiga, e Gastronomia.

Suas especialidades e áreas de maior interesse recaem sobre o mobiliário luso-brasileiro, ourivesaria, numismática, joalheria, porcelana e pintura antiga.